quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Titulo: Os sete Reinos de Olivarum - A princesa de Ônix
Autor: Jadna Alana
Editora: Coerência
Ano: 2017

Em um mundo onde a magia é possível, sete Reinos foram criados pela Trindade Iniciadora, cada um governado por uma raça de seres mágicos. Aos Anjos foi entregue o Reino de Diamante; às Fadas o domínio do Reino de Esmeralda; às Sereias foi entregue o Reino de Safira; o Reino de Rubi tem como governantes os Vampiros; O reino de Jaspe é liderado pelos Licantropos; aos bruxos coube governar o Reino de Ônix e, por fim, aos feiticeiros foi destinado o Reino de Pérola. Todos os reinos juntos formam Os sete Reinos de Olivarum.
É neste universo fantástico criado pela escritora Jadna Alana que tomamos conhecimento da história de Amie Bell, a jovem princesa bruxa do Reino de Ônix.
Nervosa com a magia que é obrigada a executar em sua festa de aniversário de 18 anos e, incomodada por ser o centro das atenções, Amie acaba atrapalhando-se com toda aquela expectativa que colocavam nela e, em uma confusão entre feitiços, se teletransporta para uma floresta distante do Castelo de Ônix.
Perdida e sem saber como voltar para casa Amie conhece alguns integrantes do Clã do Pacto, uma organização que luta contra a rigidez preconceituosa que guia os povos de Olivarum: cada raça mágica não pode possuir contato direto com as outras. Assim que a jovem princesa começa a entender que essa lei não segue os ensinamentos da Verdadeira Trindade e que tudo que sabia até então não passava de uma farsa criada por governantes ambiciosos e controladores, Amie começa a se questionar sobre tudo em que lhe obrigaram a acreditar durante toda sua vida.
Com uma narrativa envolvente e empolgante, A princesa de Ônix nos faz mergulhar em um viagem fantástica pelas diversas mitologias dos seres mágicos de Olivarum a partir de um ponto de vista único e cheio de mistério; além de nos  fazer refletir sobre a liberdade, as diferenças e, acima de tudo, a importância do amor.

 “O amor é uma arma poderosa. Ele pode machucar, fazer sofrer, mas no final sempre valerá a pena”
 Ipsa Trinitas

Por, Íris Constantino.

domingo, 8 de outubro de 2017

Fabiano Alexandria é o nosso primeiro parceiro da nossa volta! 

Há uns dias atrás, quase um mês, fui surpreendido com a noticia de que Fabiano aceitara a solicitação de parceria com nosso blog. Fiquei intensamente realizado, por vários motivos. O primeiro é que ele é Paraibano. A segunda é que ele é escritor e a terceira é que ele é um dos poucos que dão a oportunidade a blogueiros a conhecerem as maravilhas que são produzidas aqui no Brasil, mas que são desvalorizadas e com custos altíssimos para adquirir.





Fabiano Alexandria é medico Pediatra e trabalha como terapia intensiva. Fã de Gênero de romance policial, estreia seu primeiro romance adaptado em sua cidade com vários aspectos e referencias históricas reais, numa empolgante aventura envolta em mistérios. Nascido em João Pessoa, Paraíba, em 1968, iniciou o gosto de leituras antes mesmo dos 4 anos de idade, colecionando HQs e Livros de suspense policial.

Seu primeiro livro de romance policial, o que receberemos em breve, Rio dos Ventos, será degustado e resenhado aqui no nosso blog. Fiquem ligados!















Por, Eduardo Vicente.


quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Titulo: Sejamos todos feministas
Autor: Chimamanda Ngozi Adichie
Editora: Companhia das letras
Ano: 2015


Precisamos falar do feminismo, precisamos conhecê-lo e entender de uma vez por todas que a sociedade arcaica, egocêntrica, não existe mais e que seus resquícios não podem mais respirar em nosso meio. Necessitamos igualdade no mundo, seja questão financeira, social e primordialmente sexual. Devido a isso, Chimamanda vem de maneira genial mostrar que esses tabus, determinado questões de género, carecem ser quebrados. 

Ela coloca que todos os indivíduos que compõem a sociedade, sejam homens ou mulheres, precisam ter noção do que é o feminismo e a partir deste ponto de vista, passar a plantar e a cultivar essa semente libertadora, essencial para um bom relacionamento e união entre as classes. Além disso, conota contundentemente que a mulher precisa receber o seu valor; que a mulher tem de ser tratada como sexo autossuficiente que independe de homens, e que também os homens, especificamente os machistas, precisam se libertar da ideia de submeter uma mulher aos seus caprichos. Tanto os homens, quanto as mulheres, são indivíduos independentes que podem assumir responsabilidades e lidar com elas de maneira consciente.

Enfim, mulher não precisa abrir mão do que almeja; não precisa viver enjaulada dentro de uma casa, para cumprir seu "Papel". Mulher não precisa carregar nas costas responsabilidades de um machista, muito menos aceitar agressões ou qualquer outra ofensa que o machista venha a proferir. O lugar da mulher é onde ela quiser e a vida, tanto para os homens quanto para as mulheres é sem fronteiras.

Todos precisam conhecer essa obra! Todos precisam ser feministas!

Por, Eduardo Vicente

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Titulo: A hora da estrela
Autor: Clarice Lispector
Editora: Rocco
Ano: 1977


        Durante o século XX as mulheres eram tratadas de maneira impiedosa, oprimidas, sem oportunidades de emprego e sem o status de cidadão, eram somente uma ferramenta de prazer e devia submissão extrema ao homem. Além disso, elas, se não suprissem as exigências do homem e da sociedade em si, diga-se de passagem, era vista com maus olhos e desvalorizada. Mais do que a mulher que obedecia os padrões estéticos e conseguisse cumprir seu papel como o "ser mulher" que o homem exigia e ainda exige. É exatamente isso que o último romance da grandiosa Clarice Lispector vem tratar: um desabafo sobre as formas de tratamentos que as mulheres recebiam naquela época, tamanha opressão e desrespeito, objetos que eram facilmente usados e, em seguida, descartados, quando não servissem mais. Macabéa, personagem principal do romance, foi a escolhida para representar tamanho feito de Clarice, que no decorrer da obra transpassou o quão era difícil ser mulher, principalmente se fosse nordestina e, para os padrões sociais, feia. A história se passa no Rio de Janeiro e, inicialmente, Macabéa apresenta-se como uma pessoa vazia, ignorante de tudo e submissa, como todas as mulheres daquela época. O diferencial da protagonista, para as demais personagens é o quesito estético, visto que ela era considerada feia. Era alguém que não possuía expectativas para nada, não viva, apenas sobrevivia e como era difícil sobreviver. Trabalhava por um salário medíocre e era tratada com um desrespeito descomunal pelos patrões que a humilhavam sem medir esforços. Também desvalorizada em seus relacionamentos. Ela só desejava uma coisa: ser estrela e brilhar muito, para que todos pudessem vislumbrar toda beleza que ela guardava dentro de si. Além de todos os conflitos já citados ela sofre muitos outros e acaba, depois de tanto sofrer, se tornando a estrela que desejava ser, talvez a mais brilhosa. Pois, para o bem ou para o mal, tudo tem sua hora e, feliz ou triste, Macabéa teve a sua e brilhou, a hora da estrela.


Por, Eduardo Vicente

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

       
Titulo: Amor e ordem o despertar
Autor: Daniele Fleur
Editora: DEUSES
Ano: 1990

Desde quando a cor da pele diz quem você é? Até onde o racismo pode separar duas pessoas que tanto se amam?

Em seu primeiro dia de aula, Celenna se atrasa e acaba chegando no segundo horário. Chegando a escola é surpreendida por um grupo de skinheads, seguidores e fanáticos  nazistas, que pretendem manter a tradição e receber os alunos com estilo, muita pancadaria. Quando uma garota do grupo se prepara para dá inicio a tradição  é surpreendida pelo líder do grupo, John Peter, que a impede de quebrar a cara da garota novata.

Esse herói trazia no peito um sentimento pela garota negra, a raça pela qual sempre lutou para exterminar. Contudo, para surpresa de todos, ele consegue a atenção e o coração de Celenna, por quem sente um desejo que foge dos princípios de sua classe e do seu grupo. Mas será que eles conseguirão viver esse amor? Será que John Peter é capaz de abrir mão de quem é e seguir seu inconsequente coração? Ou será que tudo isso não passará de um fogo de palha? Tenho certeza de uma coisa: Celenna é guerreira e o amor é sem fronteiras.

Tenho certeza que esta leitura, além de tratar do amor, trata das diferenças e do respeito que cada cidadão tem por direito.





quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Titulo: Harry Potter e a pedra filosofal
Autor: J. K. Rowlink
Editora: Rocco
Ano: 1997

       Para você que acha que só pode ir para Hogwarts se receber sua carta, está muito enganado. Você pode ir para lá e se deliciar com as aventuras desses bruxinhos. Basta folhear suas 223 páginas. Contudo, vou falar um pouco do que se passa no livro.
      Harry teve seus pais mortos por vocês-sabem-quem, ainda criança e, por isso, foi obrigado a morar com seus tios, os desagradáveis Durley. Tendo atitudes suspeitas e privado wartsde saber sobre sua verdadeira identidade, Harry, aos 14 anos, recebe sua carta de admissão de Hogwarts, conhecendo seu futuro grande amigo, Hagrid, por quem é fascinado. No dia de comprar seus materiais exigidos pela escola, ele acompanha Hagrid até gringotts, o banco dos bruxos, além da retirada que Harry faria, Hagrid foi buscar uma encomenda de dumbledore, algo misterioso. No dia de ir pegar a plataforma, Harry conhece um de seus melhores amigos, Rony Weasley. No trem acaba conhecendo Hermione e Neville. A junção desse quarteto dará o que falar na escola. Serão os responsáveis pela quebra de uma, quem sabe tradição. 
Recebendo todo o assedio, por onde passava, aos poucos, Harry, foi conhecendo sua história e logo seus instintos, lhe levaram ao time de quadribol, conquistando o prestigio de todos. O que não esperavam era que Vocês-sabem-quem estaria tentando voltar e é essa volta o que dará a Harry a oportunidade de saber tudo o que aconteceu e o valor do nome que carregava.
          Foi um ano incrível, aprendendo os primeiros feitiços e conhecendo Hogwarts de uma maneira que ninguém mais ousaria.

Por: Eduardo Vicente

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Titulo: Guerra Civil
Autor: Stuart Moore
Editora: Novo século
Ano: 2015

         Até que ponto consegues suportar um desastre tremendo e ser culpado por algo que não cometeste? 
        A trama dessa obra passa-se em território americano, a nação dos heróis, que por um momento tornaram-se vilões por um desastre causado por vilões. Após a tragédia durante as gravações de um filme, a S.H.I.E.L.D. juntamente com o governo dos Estados Unidos, firmaram um novo projeto, o de registrar os heróis e tê-los como soldados, os quais teriam direitos trabalhistas, inclusive um salário. Em meio a tragédia, Tony Stark, conhecido como Homem de Ferro, ao saber da morte do Deus Thor, que era a cabeça dos vingadores, se desesperou e vendo que não possuía tanta força assim, integrou o Homem Aranha à equipe e aceitou submeter-se às exigências impostas pelo governo, tudo isso sem o consentimento do grande patriota Steve Rogers, o tão querido Capitão América, que não aceitara o registro e, assim, toda classe dos super heróis e dos super vilões sofreram uma trinca. O objetivo dos aliados ao governo, o team Homem de Ferro e a S.H.I.E.L.D., era capturar e eliminar todos os que resistiram a nova lei, submetendo-se às exigências ou sendo detidos em lugares apropriados para os super dotados. Então, daí surge o grande embate entre Homem de ferro, banhado de toda tecnologia e dos mais inteligentes super heróis, tais como quarteto fantástico, contra a grande resistência governada pelo patriota Capitão América.
        Dentro deste romance encontramos várias questões de comoção e reflexão sobre a importância da população para os super Heróis e o preço de cada escolha feita.
         Mas me respondam: de que lado você está?


Por, Eduardo Vicente